Patrícia Castellani

Destilo meus versos pelas ruas, cantando em prosa o que me diz o amor. Deixando aos poucos o dia… Para que a lua me faça acompanhar.

Poesia Realista

Deixe um comentário

Luto

Desumana é a ingratidão
Perversa é a traição
Os ferrolhos das portas emperraram
Não se abrirão para o perdão.
 
Deveria ter te deixado morrer
Poderia ter te deixado sofrer
Pois melhor é o luto que a desilusão
Melhor o deserto que a decepção.
 
Já não há mais portas nem caminhos
Não há destinos na contramão
Por um longo grito que silencia para sempre.
 
Desumano seria deixar-te morrer?
Perversa é a boca que mentia
E a escuridão de não saber.
Anúncios

Autor: patriciacastellani

Destilo meus versos pelas ruas, cantando em prosa o que me diz o amor. Deixando aos poucos o dia… Para que a lua me faça acompanhar.

Quero saber sua opinião. Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s